sábado, 21 de janeiro de 2012


CORDEL DE HOMENAGEM AO ENSC
(Educandário Nossa Senhora da Conceição)

Numa casa pequena
Porém, aconchegante
Começa a história
Simples e emocionante
Dessa escola querida
Por seus estudantes.

Essa história é parecida
Com aquela sementinha
Que tão pequena e frágil
Mas, cheia de vida florescia
Dando espaço para seus galhos
Que aos poucos cresciam.

O casal que lá vivia
Deixou de lado o seu lar
Para no lugar construir
Uma escola singular
Com ajuda de parentes,
Amigos e Deus a iluminar.

E assim como uma planta
Que cresce forte e saudável
Aos poucos o cimento e os tijolos
 ao suor se misturavam
e as suas paredes resistentes
aos poucos a escola fortificavam.

Quando pronto estava o educandário
Como uma árvore pronta para florir
Faltava-lhe um nome
Sobre o qual iria adquirir
Nossa Senhora d Conceição
Eis o nome a surgir.

Hoje seus frutos prosperam
Com disciplina e fulgor
Dentre direção e funcionários
Mostrando o seu valor
 Esses frutos natos
De um futuro promissor.

Esta história não tem fim
Porque mesmo acabando
Aqueles que a cultivaram
Guardarão sementinhas brotando
Trarão no olhar gotas orvalhando
De esperança que plantaram.


Mais um ano se passa
E o Educandário vamos homenagear
Lembrando dos que aqui passaram
Junto aos que aqui ficaram
E a espera daqueles
Que ao de chegar.

Eloisia Serafim- 24/05/2007

FESTA NO INTERIOR

Esse ano o Educandário
Nossa Senhora da Conceição
tem o prazer de homenagear
a animada festa de São João.

E o tema este sim
Sei que todos vão gostar
Festa no Interior
E toda a alegria do arraiá.

Do jardim a quarta série
Todos se preparam
Para a festa no interior
A qual todos se dedicaram.

A direção e os funcionários
Todos colaboraram
Professores e alunos
Com alegria a festa organizaram.

Meus compadres e comadres
Vou agora lhes contar
Como é a festa no interior
Até o sol raiar.

Todos se agitam
Na véspera de São João
As moças preparam seus vestidos
E a rapaziada o quentão.

Os mais velhos prepara
Com cuidado a fogueira
E espera a comadre
Pra dançar forró a noite inteira.

A criançada divertida
Brinca sem cansar
E olha admirada o pai
O balão a soltar.

Comida tem que não acaba mais
Pé-de-moleque, milho assado,
Canjica, pamonha, mungunzá
Bolo e milho cozinhado.

Tem refresco para os meninos
Quentão para a rapaziada
Tem mulher bonita
Dos pés a cabeça enfeitada.



Tem quadrilha ao redor da praça
Em plena noite de luar
Ao céu aberto todos brincam
Fazendo um grande arraiá.

Caminho na roça, todos dançam
Alavandú, anarriê!
Olha a foto! Segue o passo!
Olha a chuva! Balance!

Festa no interior
Eta festa de abalar!
Quem está dentro não quer sair
Quem está fora quer entrar.

Mas preste muita a atenção
Principalmente a meninada
Não brinquem com fogo
Pra não sair da festa queimada.

Soltar fogos, só adultos!
Nada de bomba rojão
Porque estourar bomba é perigoso
Faz perder até pé ou mão.



É o conselho que o educandário
Nossa Senhora da Conceição:
Brincar com alegria
Mas, com cuidado e atenção.

No interior ou na cidade
Não importa onde seja
Brinque, se divirta!
É o que o educandário deseja.

Eloisia Serafim- 2008



O MESTRE DA CULTURA POPULAR

Este ano o educandário
 Nossa Senhora da Conceição
Irá homenagear um artista popular
Que teve participação na educação.

Á cultura nordestina
Sua grande contribuição.
Como músico, produtor
Professor e artesão.

Com honra e alegria
Iremos um pouco contar
Sua gloriosa história
Que entre gerações irá ficar.

Também foi criança um dia
O mestre da cultura popular
E com toda alegria vivia
A cantar, tocar rabeca e dançar.

Conhecido como Mestre Salu
Ele é Manoel Salustiano Soares
Nascido no interior de Pernambuco
Em Aliança, cidade de bons ares.

Ensinado por seu pai
Aprendeu o jovem Salu
A tocar e produzir rabeca
De imburana, pinho e mulungu.

Foi mostrando suas artes
Personagens de folclore e maracatu
De Aliança para o mundo
Levados de norte a sul.

Sempre participava
Dos folguedos de Aliança
Que cada vez o encantava
Bumba-meu-boi e toda festança.

Mas foi o cavalo-marinho
A sua maior paixão
Além de contemplar as cantorias
Danças e folguedos da região.

Personagens, músicas e coreografias
Começou então, a criar
Foi à França, Estados Unidos, Cuba  e Bolívia
Sua arte divulgar.

 Aos 62 anos, no Recife
O Mestre Salu faleceu
31 de agosto de 2008
O céu de alegria se encheu.

Pois lá em cima mestre Salu
Continua sua festança
 E nós cá na terra
Continuamos com sua herança.

De arte, cultura e alegria
Cavalo-marinho e arrelim
Com Mateus e Catirina
Tudo isso pra você e pra mim.

Mas vamos minha gente
Do Mestre Salu se despedir
E continuar a nossa festa
Porque muita alegria está por vir.

Eloisia Serafim- 05/2009



Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...