quinta-feira, 7 de julho de 2011

SAUDADE



Saudade sinto agora
De quem não posso ter
Porque foi embora para sempre
Onde estará a viver?

No raiar do dia quem sabe
No entardecer talvez
No anoitecer sombrio
Ou na estrela distante que vês?

Por toda parte procuro
Já não sei o que fazer
Nos lugares alegres e obscuros
Mas, não consigo esquecer.

Saudade sinto agora
E sempre irei sentir
Pois saudade não morre
No peito que não mais sorri.
1998

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...