quinta-feira, 7 de julho de 2011

INSÔNIA



O sono chega
Junto com ele o cansaço
Do nada fazer
Do nada acontecer.

Viro para um lado
Viro para o outro
Penso no que deixei de fazer
E no que preciso ser.
E...para ser
É preciso se libertar.
Das correntes do medo
E tentar lutar.

Sair dessa inércia
Enfrentar o que impede
Os pés e as mãos
De fazer o que se deseja.
09/09/2010



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...