terça-feira, 12 de janeiro de 2016

DESAPEGO OU ME APEGO AOS MEUS ESCRITOS? EIS A QUESTÃO!!!


Nesse momento me bateu uma vontade enorme de escrever, como fazia em tempos atrás. Mas o fato é: Não sei o que faço com os mais de 200 poemas digitados e mais alguns perdidos em papéis amarelados pelo tempo, escritos à mão; poemas que foram escritos em tempos de tristeza, solidão, angústias e em tempos de desabafos e forma de expressar minha depressão. Época que tinha um coração triste mesmo com o sorriso no rosto. Hoje as olho, as releio, acho algumas insignificantes, não me reconheço nelas... Porém, cada palavra escrita em cada poesia feita com puro sentimento momentâneo fazem parte de mim, são pedacinhos de minha alma que emboram estivessem rasgadas, feridas e feias; são parte de mim. Partes que foram reconstruídas, consertadas e revividas com cada amanhecer, novas chances e novas experiência e o reencontro com o amor, a cima de tudo o amor próprio.

Hoje, não consigo mais fazer poemas, por que minha fonte de inspiração era a tristeza que havia em mim, os complexos e bullings sofridos. Desapego a muitos sentimentos seria a principal razão para a busca de mim mesma com a juda de pessoas boas que cruzaaram meu caminho. Ho je me sinto liberta e feliz.

Mas, a questão é: Livro-me de vez desses escritos que ficaram no passado. Ou dou uma repaginada e as exponho em meu blog, ou quem sabe edito um livro? Em um mundo conturbado onde ninguém pensa mais em romantismo e poesia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...