domingo, 19 de fevereiro de 2012

HOJE AQUI, AMANHÃ NÃO SE SABE


Depois de muitos dias a sentir fortes dores de cabeça ocasionadas por uma virose dou graças ao Senhor. Agora posso ler e escrever, como faço habitualmente.
Durante o tempo em que fiquei de “castigo”, quieta, curtido minhas dores físicas e meu silêncio, pude realmente parar para CALAR e OBSERVAR, muitas coisas de minha vida e dos acontecimentos estampados em revistas, telejornais, internet,...
Entendi com essa observação de mundo e reflexões, que as vezes é preciso nos acontecer algo, ou perder alguém para sentirmos o valor relativo ou absoluto da vida, das coisas e pessoas que apreciamos ou amamos.
Corremos tanto, queremos tanto! Porém, numa fração de segundos pode acontecer tantas coisas... E, quando elas acontecem... OPS!Uma palavra já foi dita, outra palavra se perdeu no medo ou no esquecimento, um reparo foi deixado de ser feito.
Saímos de casa para trabalhar com mil e uma ideias, afim de que o progresso seja imediato, porque através do progresso, os bens materiais e o conforto, retribuídos pelo trabalho honesto, soam como um verdadeiro TROFÉU. Um grande prêmio com o propósito de viver tranqüilo com a família. As vezes essa vontade é tão grande que a gente esquece, de um eu te amo, um obrigado, você está bem?, falta as vezes até um olhar que se perde na correria.
Portanto, como vemos em muitas mensagens por aí ou em letras de músicas, eu repito: não deixe pra amanhã, não deixe pra depois; HOJE AQUI, AMANHÃ NÃO SE SABE. VIVO AGORA, ANTES QUE O DIA ACABE!
Como arrumar um tempo? Em cada oportunidade que a vida colocar à sua frente. Se ela está aí, é porque um propósito há!
Eloisia Serafim

Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...