sábado, 2 de julho de 2011

VIVA O POVO BRASILEIRO: DIVERSIDADE CULTURAL NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL

VIVA O POVO BRASILEIRO: DIVERSIDADE CULTURAL NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL

ELOISIA CRISTINA SERAFIM

RESUMO
O romance Viva o povo brasileiro (1984), de João Ubaldo Ribeiro, conta três séculos de história da formação do povo brasileiro numa narrativa crítica e irônica de seu criador. Descreve fatos desde as primeiras colônias até a década de 1977. Mostrando através de personagens, avanços e recuos no tempo, bem como problemáticas sociais e questões relativas à aspectos principalmente que este trabalho aborda: a diversidade cultural e a construção da identidade nacional brasileira. A base teórica para análise do corpus foi fundamentada na visão antropológica de José Luís dos Santos  e Alan Beals, abordagens de análise a partir de estudos de Massaud Moisés , além de aspectos relacionados a cultura  e identidade nacional de Renato Ortiz, Zilá Bernd, Hall Stuart e outros autores que foram muito importantes para contribuição da pesquisa  de Viva o povo brasileiro.

JOÃO UBALDO OSÓRIO PIMENTEL

  Nascido em Itaparica, Bahia;
  Em 23 de janeiro de 1941;
  É membro da Academia Brasileira de Letras desde 1993;
  Pós- graduado em Administração Pública pela UFBA e Mestre em administração pública e ciência política pela Universidade da Califórnia do Sul;
  jornalista, professor, romancista, contista e cronista.


CARACTERÍSTICAS DO AUTOR

A adequação exata dos diferentes níveis de linguagem à posição social dos falantes, a seleção lexical primorosa, a reconstrução de um sem-número de estilos, registros, dialetos, que vão do chulo ao requintado, do espontâneo ao formal, de um jargão de pescadores aos jargões jurídico, militar ou clerical, de um português brasileiro ou lusitano à forma híbrida “ à moda holandesa”, são todos os recursos que, ao mesmo tempo que dão verossimilhança à ficção histórica, paradoxalmente, criam as condições para a eficiente corrosão desse discurso levada a cabo pela paródia ( Cecantini, Cadernos de Literatura Brasileira, p.120)

CARACTERÍSTICAS NA OBRA
  Avanços e recuos no tempo;
  Grande quantidade de personagens;
  Variedade de linguagens;
  Sincretismo religioso;
  Misticismo;
  Cultura afro-brasileira

NOS MEANDROS DA IDENTIDADE CULTURAL



  Cultura é, em Antropologia e Sociologia, um mapa, um receituário, um código através do qual as pessoas de um dado grupo pensam, classificam, estudam e modificam o mundo e a si mesmas.( DAMATTA, p.123, 1986)
  Para Stuart Hall, há três concepções de identidade, que se distinguem , que são as identidades do: sujeito do Iluminismo; sujeito sociológico; sujeito pós-moderno. (Stuart,p.11, 2006)
  “[...] as culturas movem-se não apenas pelo que existe, mas também pelas possibilidades e projetos do que pode vir a existir”, (DAMATTA,p.20, 1986) .

BUSCA PELA IDENTIDADE
  para a pesquisadora Zilá Bernd essa questão da busca pela identidade,
 […] deve ser vista como processo, em permanente movimento de deslocamento, como travessia, como uma formação descontínua que se constrói através de sucessivos processos de reterritorialização e desterritorialização, entendendo-se a noção de “território” (DELEUZE e GUATTARI, 1977) como o conjunto de representações que um indivíduo ou um grupo tem em si próprio. (BERND, p.10)

PÓS-MODERNISMO
Na literatura do pós -modernismo, quando nos referimos a cultura coletiva e suas problemáticas, ainda temos como grupos discriminados: negros, homossexuais, mulheres, e as vezes até pessoas idosas e com situação desfavorável financeiramente. Em outras palavras “o povo”.
 A própria complexidade do processo batizado de globalização é um exemplo. A história da humanidade é marcada por interferências culturais, desde os tempos dos impérios chinês, romano ou persa. (DANIEL PIZA, Revista Continente, Ano VI, nº 70)

CONCLUSÃO
  Uma vez aplicado o instrumento de análise de dados e obtenção  de informações através de pesquisa bibliografia, tendo como corpus Viva o povo brasileiro,de João Ubaldo Ribeiro, chegamos a conclusão de que os resultados foram significativos para realização deste trabalho. Tendo em vista que o mesmo, não é o suficiente  diante de temas tão amplos que são: a identidade nacional e  a diversidade cultural, principalmente quando tratamos de um país como o Brasil, constituído de imensa riqueza cultural, ou melhor, multicultural, tão representativo no discurso do romance Viva o povo brasileiro.

REFERÊNCIAS
  BEAL, Alan. Antropologia Cultura . Universidade de Stanford em colaboración com George y Louise Spindler- Centro Regional de Ayuda Técnica – Agencia para El desarrollo internacional ( A.I.D.) – México: Copyright, 1971.
  BERND, Zilá. Literatura e identidade Nacional. Porto Alegre: Ed da Universidade /UF RGS, 1992.
  CECCANTINI, João. João Ubaldo Ribeiro. Cadernos de Literarura Brasileira. Rio de Janeiro,1999.
  HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro – 11.Ed. – Rio de Jeneiro: Ed. DP & A, 2006.
  MOISÉS, Massaud. A Análise Literária. São Paulo: Cultrix, 2007.
  ORTIZ, Renato. Cultura Brasileira e Identidade Nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
  RIBEIRO, João Ubaldo. Viva o povo brasileiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.




Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...