quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

DO SONHO À CIVILIZAÇÃO



Ao fechar os olhos
Até que
O corpo chegue a adormecer
Tudo é possível
No mundo dos sonhos
Acontecer...
Nos sonhos podemos
Sentir perto quem amamos;
Tocar, abraçar,
Ver um leve sorriso,
Sentindo-me no paraíso.
É chegar perto
Do que longe está
Como mágica
Ou máquina do tempo
Retroceder ou avançar
Para onde o coração
Quiser levar...
Mas...Que pena!
Amanhece.
O sonho, adormece.
De alegria à comoção
Acordo e enfrento a realidade:
Volto à civilização.
22/04/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como boneca de louça

Olho todos a minha volta nada sabem do meu ser e o que mais me revolta é que fingem não me ver. Busco falar com as portas com as jan...