Pular para o conteúdo principal

PARTE 3



Muitos episódios se passaram na época de criança e adolescência, que ainda estão latentes em minha memória. Hoje, escutando uma seleção de músicas de Fábio Junior me deparei com a música PAI, e comecei a questionar e lembrar o pouco ou o muito, que essa palavra representa pra mim.  
Fui criada sem a presença do meu pai adotivo, porque ele era caminhoneiro e as poucas vezes que ia a casa minha mãe adotiva discutia com ele, depois de crescida compreendi o porquê: ele tinha outra família ( outra mulher e duas filhas). Até meus 11 anos ninguém conversava comigo a respeito de muitos assuntos, inclusive o de adoção. Mas eu era esperta e curiosa e descobri quem era o meu pai genético, e desde aquele dia em que ele ficou frente a frente comigo, passei a gostar dele e nunca mais o esqueci.
Eu tinha meus 7 anos, e minha mãe precisava de alguém para carpir o mato do nosso quintal que estava volumoso, logo após o inverno. Meu pai fazia “bicos” pra se sustentar e minha mãe o chamava, sempre que precisava. MAS, naquele dia... exatamente naquele dia, que eu já tinha certeza de quem ele era... foi ... marcante:
Eu estava na cozinha fazendo meus deveres de casa, quando ele desceu as escadas e passou me olhando e disse pra minha mãe: “Dona Zezé, como sua filha é estudiosa!”. Eu olhei pra ele e vi o brilho em seus olhos e o orgulho de me ver ali, arrumadinha, limpa, bem vestida e estudando. Achei de uma humildade tamanha, aquele gesto. Depois passou cabisbaixo para o quintal e começou o seu serviço. E nunca mais esqueci!
O reencontro com ele se deu a dois anos atrás, depois de 30 anos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ABANDONO

Aqueles dias para mim
foram somente de tortura
vagando pelas ruas
totalmente imatura.

Não havia ninguém
que pudesse me apoiar
só havia, porém
o mar, o sol a me confortar.

Lamentava meu destino
triste a soluçar
conversava com o vento
para aliviar meu penar.

Não tinha ninguém na vida
eu era um cão sem dono
hoje dou graças a Deus
ter superado o abandono.

Sorriso de Criança

Deus ao criar o mundo
e tudo que nele há
criou o homem e a mulher
deixando um vazio no ar.

Faltando a doce inocência
em forma de arcanjo
simplicidade de uma hortênsia
pureza de um anjo.

Criou, então, a criança
de rosto doce e risonho
ao mundo uma esperança
à maldade, um escudo
se não fosse
o sorriso de criança
não haveria alegria nesse mundo.

Eloisia Serafim Bezerra

Pintor Pino Daeni

Os sentimentos norteiam nossa vida e a sensibilidade norteia Sentimentos.Alvaro Granha Loregian