Pular para o conteúdo principal

PARTE 2

PARTE 2

Exatos 15 dias, tempo permitido para que minha mãe ficasse comigo, após meu nascimento. Tempo mínimo e restrito, porém essencial para amamentar e tentar não se apegar.
Algumas pessoas da cidade queriam me adotar “gente de toda a qualidade”, mas o pouco de senso que ainda restava da pobre jovem Selma, não permitiu que eu fosse entregue de qualquer jeito a qualquer pessoa. Foi então, faltando poucos dias para o meu nascimento, promessas e pactos foram feitos entre minha mãe genética e minha mãe adotiva. A primeira prometeu fazer a entrega do “pacotinho”, logo ao sair da maternidade e jurou nunca interferir na vida e educação daquele pequeno ser. A outra com seu ar autoritário consentiu 15 dias para amamentar e por nobreza jurou cuidar e dar uma boa educação, enquanto pudesse viver, já que era na época uma senhora de mais de 50 anos e separada.
Dona Maria José, conhecida por Dona Zé, separada, com dois filhos um adolescente e outra entrando na maior idade e a lembrança de seu primogênito, que em pleno vigor da idade, aos 33, morreu afogado. Ela, tinha um certo prestígio na cidade, por isso foi um alvo certeiro para a minha adoção. Como toda criança, recém nascida, fui embalada e cuidada, com pouco ou muito amor “isso não vem ao caso”. Só sei que minha vida, minha educação e traumas, devo a minha mãe adotiva. Após sua morte (5 anos mais ou menos), quando estava com 21 anos tive a grande benção e alegria de conhecer minha mãe genética. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ABANDONO

Aqueles dias para mim
foram somente de tortura
vagando pelas ruas
totalmente imatura.

Não havia ninguém
que pudesse me apoiar
só havia, porém
o mar, o sol a me confortar.

Lamentava meu destino
triste a soluçar
conversava com o vento
para aliviar meu penar.

Não tinha ninguém na vida
eu era um cão sem dono
hoje dou graças a Deus
ter superado o abandono.

Sorriso de Criança

Deus ao criar o mundo
e tudo que nele há
criou o homem e a mulher
deixando um vazio no ar.

Faltando a doce inocência
em forma de arcanjo
simplicidade de uma hortênsia
pureza de um anjo.

Criou, então, a criança
de rosto doce e risonho
ao mundo uma esperança
à maldade, um escudo
se não fosse
o sorriso de criança
não haveria alegria nesse mundo.

Eloisia Serafim Bezerra

Pintor Pino Daeni

Os sentimentos norteiam nossa vida e a sensibilidade norteia Sentimentos.Alvaro Granha Loregian